Créditos : Tji

E hoje, meus queridos amigos, eu estou aqui a gravar-vos este vídeo porque quero falar dum tópico que eu acho bastante pertinente, que é o tópico das organizações de esports em Portugal.

As esport orgs em Portugal

E hoje, meus queridos amigos, eu estou aqui a gravar-vos este vídeo porque quero falar dum tópico que eu acho bastante pertinente, que é o tópico das organizações de esports em Portugal. Portanto, este tópico tinha que ser falado e eu, tendo em conta alguns acontecimentos recentes, pensei que esta seria a melhor altura para abordar este assunto, até porque estamos muito próximos da XL Party, onde vão estar presentes a grande maioria dessas organizações.

E tem que abordar este tema em geral porque, sinceramente, eu acho que isto precisa de ser falado. Eu não sei se a grande maioria de vocês sabe mas as organizações de esports em Portugal funcionam um bocadinho como o futebol, como os clubes de futebol. Basicamente são equipas, representam os jogadores e levam-nos a torneios de esports, etc. Algumas delas têm também divisões de streamers, etc. É uma grande complexidade mas, supostamente, são comunidades que cresceram até ao nível profissional e que, neste momento, têm jogadores profissionais a jogar dentro delas.

Há alguns casos em Portugal. Eu não vou tocar em nomes, como é óbvio, mas quero falar-vos um bocadinho do panorama geral. Portanto, as organizações de esports em Portugal — não quero dizer que são todas mas algumas são — têm muitas coisas dentro que as pessoas não fazem a mínima ideia. Ou seja, há muitos esquemas manhosos, há muita corrupção à volta disto e parece estranho porque os esports são uma coisa relativamente recente mas, neste momento, já há muito joguinho dentro dessas mesmas organizações.
Sei de muitos casos, mesmo muitos. Não vou estar aqui a falar deles em concreto, até porque isso pode prejudicar terceiros, mas vou falar um bocadinho sobre o panorama geral. Já soube de casos de pessoas que trabalharam pra essas organizações e não foram pagas, quase um ano e tal, e não foram pagas nunca.
E a desculpa era sempre que era um prazer, e era sempre currículo representar aquela organização maior do que não sei quê: basicamente, é sempre o mesmo argumento. Sei de pessoas a quem lhes foi dado uma conversa e foi prometido x coisas, x regalias, pra representarem aquela organização e que, depois de um ano e tal a representar, viram zero, e isto foi mais ou menos o meu caso também, já aqui há alguns anos.

Mas, mais do que isso, acho que há um esquema de sabotagem e é por isso que eu estou a gravar este vídeo, basicamente. Portanto, o que é que aconteceu? Eu vou vos estar a falar dum caso em particular o qual eu, por acaso, não investiguei, nem falei com ninguém porque não quis ser influenciado por nada; mas de que soube, que é de facto muito mau.
Basicamente, eu não sei se vocês conhecem uma nova organização de esports que é a Tropa Suicida, que tem aparecido nos últimos tempos, e que tem tentado fazer nome na scene das organizações de esports em Portugal. É uma organização de pessoas que eu conheço, pessoas com quem eu me dou bem e, como é óbvio, tenho um carinho especial pela mesma. O que sucedeu foi, basicamente, que essa mesma organização foi alvo duma queixa pra tentar sabotar, basicamente, o trabalho da mesma devido ao facto de terem “suicida” no nome.

Portanto, pensem no que é que as pessoas vão pegar para, basicamente, denegrirem o nome de organizações que estão a aparecer. Eu não quero armar aqui mas eu tenho quase certeza é que sei quais é que foram os motivos desta queixa e sei quais é que foram os objetivos da mesma porque, como é óbvio, há muitas organizações de esports a tentarem fazer nome, a tentarem recrutar streamers ou oferecerem basicamente regalias a streamers que outras organizações de topo em Portugal não conseguem oferecer. E essas mesmas organizações, por vezes, tentam sabotar o trabalho de organizações mais pequenas para terem basicamente o monopólio do mercado.
E eu devo vos dizer aqui, que não sei se vocês sabem, mas está na lei portuguesa que o monopólio é uma coisa estritamente proibida, ou seja, vocês não podem ter o monopólio de mercado. É ilegal. E isso acontece cá em Portugal, basicamente, porque há algumas organizações que não deixam ninguém respirar: têm contactos e parcerias com tudo que é sítio, com lojas de informática, com plataformas de broadcasting como, por exemplo, o Twitch e o YouTube. Portanto, pensem no que é que as pessoas vão pagar para, basicamente, denegrirem o nome de organizações que estão a aparecer.

Não quero armar aqui mas eu tenho quase a certeza que sei quais é que foram os motivos desta queixa e sei quais é que foram os objectivos da mesma porque, como é óbvio, há muitas organizações de esports a tentarem fazer nome, a tentarem recrutar streamers, a oferecerem basicamente regalias a streamers que outras organizações de topo em Portugal não conseguem oferecer.

E essas mesmas organizações por vezes tentam sabotar o trabalho de organizações mais pequenas para terem basicamente o monopólio do mercado. E eu devo vos dizer aqui que, não sei se vocês sabem, mas está na lei portuguesa que o monopólio é uma coisa estritamente proibida. Ou seja, vocês não podem ter o monopólio de mercado. É ilegal. E isso acontece cá em Portugal, basicamente, porque há algumas organizações que não deixam ninguém respirar: têm contactos e parcerias com tudo que é sítio, com lojas de informática, com plataformas de broadcasting como, por exemplo, o Twitch e o YouTube, e simplesmente não deixam, e bloqueiam os contactos de organizações mais pequenas que tentam ter essas mesmas parcerias e que almejem, algum dia, conseguir chegar ao estatuto das outras e conseguirem elevar o nome dos esports em Portugal.

Portanto, não se enganem. Quando vocês ouvem pessoas a vir com balelas a dizer que: “Ah, mas nós lutámos muito pelos esports em Portugal porque nós queremos que isto vá pra frente”. Na maior parte das vezes — eu não digo que são todas porque há pessoas que legitimamente querem isso em Portugal, embora sejam poucas — não se iludam porque na maior parte das vezes é bullshit. Na maior parte das vezes são pessoas que usam isso como desculpa para fazerem concorrência desonesta e desleal.

E eu acho que isto é uma coisa de que as pessoas deviam ter mais awareness para porque de facto, se vocês soubessem das coisas que eu sei vocês ficavam loucos. Completamente loucos. Desde pessoas que fazem stalking a streamers e lhes dizem: “Tu não podes falar com x e com y sem eu saber”. Desde pessoas que dizem: “Ah, tu não podes falar com x marca sem passar por mim, sem eu saber”.

É muito disso que se passa. Há streamers que estão nessas organizações que são proibidos de fazer parcerias sem o contacto da marca com a organização. Há pessoas — como eu vos disse há um bocado — que não são pagas e que trabalham que nem cães pra enaltecer o nome de uma organização da qual, se calhar, gostam de pertencer há alguns anos, e que é uma comunidade que adoram, e não são pagas pra tal. Há outras que esperavam fazer currículo com isso e não conseguem e são prometidas vários contatos, etc. que depois nunca chegam a ter. N coisas, tão a ver, n coisas.

E esta cena da Tropa Suicida, pra mim foi, basicamente, o cúmulo porque, de facto, é mesmo um nojinho. E o que eu quero alertar aqui pra vocês — eu não quero dar call outs em nenhuma organização específica até porque nem me sinto no poder de fazer isso — mas vim alertar-vos para esta situação pra vocês estarem com os olhos abertos.
Porque, quando recebem propostas dessas organizações, etc., vocês devem sempre ler nas entrelinhas porque, como vocês devem saber, o mundo não é feito de pessoas bem-intencionadas. A maior parte das pessoas têm segundas intenções. E, neste mundo, acreditem que já começam a aparecer muitas segundas intenções. Isto dito por um gajo que já anda nesta cena há alguns anitos e que tem noção das coisas e que se preocupa em perceber o que é que se passa no panorama geral.

O que é que eu vos digo? Eu acho que os esports em Portugal têm muito por onde crescer, mesmo muito. E eu acho que a maior parte da comida à luta bastante pra isso acontecer, mas é um bocado difícil de isso acontecer quando existem casos destes e de pessoas que sabotam a própria causa pra que supostamente estão a lutar. É um bocado péssimo, sinceramente, e a mim custa um bocado vir falar sobre estas situações e quero desde já dar a minha própria apreciação ao pessoal da Tropa Suicida por estar a aguentar nesta situação e por continuar com o seu projeto: é de louvar, sinceramente.

Eu fui contactado, entretanto, por outra organização, que é de amigos meus, pessoas bastante chegadas a mim, que eu já conheço há bastantes anos, e decidi já integrar o projeto deles. Não vos vou falar sobre isto mais especificamente porque será anunciado quando tiver que ser. Mas, neste momento, vou começar a representar uma organização também. Não é nenhuma das que falei neste vídeo. Mas estou bastante entusiasmado com a situação e bastante contente por entrar nessa nova etapa.
De facto, era o que eu acho que as pessoas precisavam e nós, streamers, vivemos muito disso e precisamos cada vez mais de parcerias, etc. E acho que é um bocado difícil de isso acontecer. Pelo menos no meu caso há muitas pessoas que simplesmente tentam lixar-me a vida basicamente porque não gostam de mim por alguma situação e, acreditem, há muita censura na cena portuguesa de esports e, como eu vos disse, não cabe a mim tar a dar expose nessas situações porque não sei se sou a pessoa indicada pra isso.

As situações, a maior parte delas não são comigo. Têm uma, duas ou três que são comigo mas não são coisas de que eu vá falar porque já se passaram há alguns anos. São situações que se passam com outras pessoas e é de se esperar que essas pessoas venham a público falar sobre a situação e façam esse dito expose porque eu acho que é mesmo necessário, é mesmo disso que se está a precisar: é que haja um escândalo tão grande que as pessoas acordem pra vida e se decidam juntar e decidam perceber que, de facto, é muito melhor se todos nós lutarmos pelo mesmo objectivo e não desandarmos a empurrar uns aos outros pela falésia abaixo só pra ver se chegamos primeiro à meta. É muito chato, na minha opinião, mas pronto, malta.

Basicamente é isto o que tenho pra vos dizer sobre as organizações de esports. Há cada vez mais jogos propícios a terem uma scene de esports em Portugal e cada vez mais jogadores a surgir e mais pessoas a crerem, em verdade, pelo rumo profissional. Isso é muito bom, na minha opinião. É só preciso que estas pessoas que tentam viver destas organizações e tentam ser o centro das organizações deixem de merdas, essencialmente, e que lutem pelo verdadeiro significado de subir o nome dos esports em Portugal.

Quer seguir o eSport ao vivo e apostar nele?

Aviso Legal

© 2020

Obrigado por veres, partilha o meu blog com os teus amigos:

Facebook   Twitter